Saturday, March 28, 2015

Uma poesia de Rafael Humberto Lizarazo

 
PRETENSIÓN                                                                                

Rafael Humberto Lizarazo

¿Por qué eres tan esquiva morenita,
por qué eres tan arisca y retrechera?
Si solamente quiero esa cosita
que ocultas como si un tesoro fuera.

No me trates así, no seas malita,
no pongas a mi sueño talanquera;
escucha mi pedido, señorita,
no dejes impasible que me muera.

Tú bien sabes lo mucho que pretendo
tener ese tesoro, pero entiendo,
que no será posible mi quimera.

¡Por qué! Si no es pecado desearlo,
¡por qué! Si sólo anhelo contemplarlo:
tu retrato guardado en mi cartera.

Pretensão

Por que és tão esquiva moreninha,
por que és tão arisca e  e retraída?
Se somente quero essa coisinha
Que como um tesouro tens escondida.

Não me trate assim, não seja mázinha,
Não ponhas no meu sonho padecer;
Escuta o meu pedido, meninha,
Não me deixes impassível morrer.

Tu bem sabes o muito que pretendo
Ter este tesouro, porém, entendo,
Que não será a possível minha quimera.

Por que! Se não é pecado desejá-lo,
Por que! Se só anseio contemplá-lo:
Teu retrato guardado na minha carteira.


Ilustração: www.zazzle.com.br

1 comment:

Rafael Humberto Lizarazo said...

Gracias, muy amable por el detalle.

Un abrazo.