Friday, June 29, 2018

Uma poesia de Chiara Moimas


Immergi                                   
 Chiara Moimas
Immergi le tue mani nel mio lago
nuota dentro di me col tuo sapere
vergine sto lottando col tuo drago
non lo vorrei ma grido di piacere.
Veleggia sino a che ti senti pago
quello che vuoi da me tu puoi avere
nei desideri più nascosti indago
immolo la purezza sul braciere.
Quando s’arena stanca la feluca
i fianchi ti riparano dai venti
al tuo volere chino la mia nuca
dolci parole invoco ma non senti.
Non c’è oramai sussurro che t’induca
alla pietà dei miei gravi tormenti.

MERGULHO

Mergulhe as tuas mãos no meu lago
nada dentro de mim com teu saber
virgem estou lutando com teu dragão
não queria, mas, grito de prazer.

Navegue até se sentir satisfeito
o que quiser de mim tu podes ter
nos desejos mais ocultos eu indago
imolo a pureza no braseiro.

Quando o veleiro está cansado
os lados te protegem dos ventos
para o teu desejo dobro minha nuca

palavras doces invoco, mas, não sinto.
Agora não há sussurro para te induzir
para a pena do meu grave tormento.

Ilustração: guiaviajarmelhor.com.br


1 comment:

Mina Jankovic said...

Beautiful post, dear!
Following you! Follow back?
www.minnieart.blogspot.com